IdeasTek desenvolve App da TV Cidade

20140424-161421.jpg

O aplicativo da TV Cidade ( +TVC ) já está disponível para download, nas versões Android e iOS atualizado!
Além da programação, a nova versão traz os vídeos e rede sociais da emissora. Você também pode ser um “Repórter Cidade”, enviando vídeos e fotos de flagrantes direto para a emissora.

Baixe agora e fique por dentro de tudo que acontece no estado, a interface também mudou e está muito mais bonita e fácil de mexer! Mais um aplicativo desenvolvido pela empresa sergipana de tecnologia IdeasTek, totalmente gratuito.

Baixar para Android:

https://play.google.com/store/apps/details?id=com.ideastek.maistvc

Baixar para iPhone:

https://itunes.apple.com/br/app/tv-cidade/id472977659?mt=8


Cabaret Party

20140424-155926.jpg

Após muito sucesso nas duas últimas festas, Warm Up e Masquerade Carnival, as competentes empresárias Ana Paula Araújo e Lorena Pauferro já estão organizando o próximo evento da dupla.

Em parceria com Humbertinho Macedo (One Lounge), elas já estão nos aprontes para o Cabaret Party que acontece no dia 02 de maio e promete atrair uma galera bacana na seleta boate The One. Com inspiração nos antigos e tradicionais bailes de cabaret, a festa trará a temática com muitas surpresas para o público, além da boa música eletrônica, marca registrada das festas desse trio.

Para embalar a festa, diretamente do Ultra Music Festival Miami, o DJ Darick Gyorgi promete ferver a pista da boate The One com o melhor da música eletrônica. Darick é brasileiro e em 2012, com apenas 22 anos, foi o DJ brasileiro mais jovem a fazer parte do line up do UMF Miami, um dos maiores festivais de música eletrônica do mundo, ao lado de grandes ícones da cena eletrônica mundial como David Guetta, Afrojack, Armin Ban Buuren, New Order, Avicii, Tiesto, dentre outros.

Anotou na Agenda? Dia 02 de maio tem Cabaret Party! Imperdível!


Forró do Buana

O Forró do Buana agita a cidade na próxima quarta-feira, véspera de feriado, dia 30 de abril, a partir das 22 horas. Para animar os habitués, a banda Forró dos Vips – o mais novo e agitado grupo musical da cidade, pilotado por Neto e Manuela Loeser.  A participação especial da forrozança será pontuado pela sensação sertaneja do momento, Marcelo Balla. O arrasta pé não tem hora para acabar. Ingressos, informações ou reserva de mesa no celular 79 9977.4084




Rogério Carvalho denuncia “máfia das órteses e próteses” em debate da CSSF

20140423-224106.jpg

A Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara promoveu, nesta quarta-feira (23), um debate sobre a fixação de preços, distribuição e direcionamento da demanda das órteses e próteses no Brasil. A iniciativa faz parte da iniciativa de realizar, antes das reuniões ordinárias, discussões sobre temas da área de abrangência da CSSF. A Comissão é presidida pelo deputado Amauri Teixeira (PT-BA).

De acordo com Raimundo Viana de Macedo, pediatra e presidente da Unimed Santos, o fornecimento desse tipo de material enfrenta problemas por causa dos altos preços cobrados pelos fabricantes. Ele citou o exemplo de um parafuso para fratura de cotovelo. O mesmo produto, importado da França, pode custar entre R$ 11 mil e R$ 19 mil. O valor inclui os impostos de importação. “Gastamos R$ 48 milhões de reais nos últimos meses com a compra de órteses e próteses. São valores injustos. Esse valor é um terço do que custaria a construção de um hospital inteiro”, afirma o médico.

Para o deputado Rogério Carvalho (PT-SE), que solicitou o debate, existe uma verdadeira “máfia das órteses e próteses” atuando no Brasil. Ele afirma que nos hospitais faltam vagas para operar pacientes que não utilizam órteses e próteses. No caso contrário, existe vaga para usar a sala cirúrgica. “O critério é a lucratividade que o procedimento pode gerar para o estabelecimento e para o profissional. Existem casos que médicos recebem cartões de crédito corporativos vinculados aos lucros que eles geram para os fabricantes. Também chamam atenção os hospitais que recebem os produtos em consignação e ganham entre 20 e 30 por cento das empresas para armazenar e repassar órteses e próteses”, denuncia Rogério Carvalho. O deputado cita também o pagamento, pelo estado de Sergipe, de uma prótese para coluna no valor de R$ 400 mil, de necessidade duvidosa para a saúde do paciente. Ele pede a mobilização das cooperativas e planos de saúde para uma ação moralizadora, com políticas de regulação do mercado, por exemplo. Carvalho sugere também a abertura de uma CPI para investigar o setor.

Diferenças regionais

Para Cibele Assad, diretora da Divisão de Insumos da Unimed Campinas, o custo com materiais especiais sobe de forma assustadora, já que estão atrelados ao dólar. A variação dos preços também é apontada pela especialista. “Já tivemos que comprar uma prótese para mandíbula que tinha o preço inicial de R$ 254 mil. Na negociação com o fabricante conseguimos por R$ 69 mil. Uma diferença de 166 mil. Que diferença é essa?” questiona Cibele. Ela também informa que a situação piora na Região Nordeste do país. “O que no Sul custa R$ 2 mil, lá pode chegar a R$ 60 mil o mesmo produto. Essa disparidade preocupa muito. Queremos o tabelamento de preços, como os remédios. Essa diferença de preços também causa a diminuição da qualidade do atendimento da saúde”, afirma.

O deputado João Ananias (PC do B-CE) destaca que, somente em um hospital de Fortaleza, cerca de mil pacientes do SUS esperam cirurgias que precisam de órteses e próteses. Pessoas que não têm condições de pagar o preço desses produtos. Ele prepara um Projeto de Lei que tipifica como crime a cobrança extorsiva desses equipamentos.

Mandetta (DEM-MS), lembra que o país não tem uma política de produção de equipamentos médicos e uma estratégia para a carga tributária sobre órteses e próteses. Ele afirma que uma alternativa seria estimular a concorrência e as prestadoras fazerem compras coletivas. O deputado ressalta que falta uma autoridade sanitária brasileira.

O presidente da CSSF, deputado Amauri Teixeira sugeriu ampliar o diálogo sobre o assunto, envolvendo fabricantes, compradores e pacientes através do Portal e-Democracia da Câmara dos Deputados.

Segue video do discurso: https://www.youtube.com/watch?v=GX4a41QwCrY

Fonte: Agencia Câmara



Política by Adiberto de Souza

A serviço dos Amorim

A presidente da Assembleia, Angélica Guimarães (PSC), está usando o Regimento Interno do Legislativo para fazer o jogo político dos irmãos Amorim. A gravíssima acusação é do líder do governo, deputado Francisco Gualberto (PT). Irritado porque o projeto autorizando o Executivo a contrair um empréstimo de R$ 250 milhões segue emperrado nas comissões temáticas, o petista afirmou que Angélica afronta a maioria do Parlamento. Gualberto está coberto de razão quando reclama contra a demora para se votar um projeto que tramita em regime de urgência. É visível a falta de vontade em se convocar as comissões temáticas. Quanto à afirmação de que o Regimento está sendo usado como arma política, esta é uma acusação muito séria. Em sendo verdade o que disse Gualberto, conseguiram transformar o Legislativo num vergonhoso e mesquinho instrumento a serviço de um projeto eleitoreiro. Uma lástima!

Sem pressa

Quem anda engolindo em seco é o deputado estadual e vice-presidente da Assembleia, José Franco (PDT). Tudo porque a deputada Angélica Guimarães não demonstra qualquer pressa em renunciar ao mandato para assumir a cadeira de conselheira do Tribunal de Contas do Estado. Ontem mesmo ela disse que, se tudo correr como pensa, levará mais de três meses para entregar a presidência do Parlamento a Zé Franco.

Moleque

E o clima anda mesmo quentíssimo na Assembleia: ontem o deputado Gustinho Ribeiro (PSD) colocou o dedo na cara do colega Gilmar Carvalho (SDD) e o chamou de moleque. Foi a resposta ao comportamento de Gilmar, que na semana passada fez a maior gozação quando Gustinho se atrapalhou e votou contra o governo, só reparando o erro ao ser advertido pelos colegas de bancada.

Há vagas

Tanto o governador Jackson Barreto (PMDB) quanto o prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), estão à procura de quem queira ser secretário da saúde. No estado, a médica Joélia Silva está, digamos assim, de aviso prévio, enquanto no município o cargo encontra-se vago há quase duas semanas, quando a enfermeira Leane de Carvalho bateu em retirada.

Mais espaço

O PT tem cobrado mais espaços no primeiro escalão do governo sergipano. Entrevistada pelo Jornal da Cidade, a deputada petista Ana Lúcia Menezes disse que o partido quer discutir uma maior participação no governo, pois outras legendas estão mais bem servidas de cargos. Ela nega, no entanto, que o vereador aracajuano Iran Barbosa possa ocupar a Secretaria Estadual da Educação.

Susto

E quem levou o maior susto foi o vereador de Riberópolis, Flávio Passos Aragão (DEM). Ele se deslocava para Aracaju quando o carro que dirigia rodou na pista e colidiu na carroceria de um caminhão. Felizmente, o parlamentar nada sofreu, mas decidiu atender orientação médica e se submeter a uma bateria de exames. O acidente aconteceu na famosa curva do Cafuz da BR-235.

Tortura

O pedido do governador de Sergipe, Jackson Barreto (PMDB), ao Ministério da Defesa para inserir o 28º Batalhão de Caçadores na lista dos quartéis a serem investigados pelas Forças Armadas foi destaque na coluna de Felipe Patury, da revista Época. O colunista enfatiza que no quartel funcionou a coordenação da Operação Cajueiro, deflagrada em 1976 para prender e torturar trabalhadores e políticos.

Alguém viu?

Diferente do que se anunciou, o projeto de lei reajustando o piso salarial dos professores de Aracaju ainda não chegou à Câmara Municipal. O vereador Iran Barbosa (PT) fez questão de alertar a categoria que a matéria ainda não saiu da Prefeitura. Aproveitou para pedir ao prefeito João Alves Filho (DEM) que o reajuste de 8,32% seja pago retroativo a janeiro passado, data base do magistério municipal. Tá certo!

Sonho verde

O Partido Verde trabalha com a hipótese de lançar candidatos majoritários em Sergipe. Caso não fechem alianças com outras legendas, os verdes pensam em lançar Antônio Leite e Pedrinho Valadares respectivamente ao governo e ao Senado.

Pelas costas

E o vereador simaodiense Ruy Dória não pertence mais ao PPS. Acusado de esculhambar publicamente com os dirigentes do partido, o parlamentar foi expulso pela executiva estadual. Ruy promete recorrer contra a expulsão, que teria sido orientada pelo presidente nacional do PPS, deputado federal Roberto Freire.

20140423-090404.jpgPublicado no jornal estanciano A Razão em 2 de julho de 1911.