• Luxo Aju

Política by Adiberto de Souza



Rainha da Inglaterra

Após o governador Jackson Barreto (PMDB) ter insinuado que o prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), está caducando, ruim da cuca, agora foi a vez do sindicalista Nivaldo Fernandes compará-lo à rainha da Inglaterra, que reina, mas não governa. Revoltado com o miserável reajuste salarial de 5% para os servidores municipais, Nivaldo disse que quem manda nas finanças do Município é Luciano Paz, secretário da Fazenda. Aliás, nos corredores da Prefeitura ninguém esconde que alguns secretários decidem mais do que o próprio prefeito. Há quem afirme que João Alves não é o único sabedor da senha de sua própria assinatura virtual, mas deve ser piléria. Portanto, se o presidente do Sepuma estiver certo, Aracaju está sendo administrada por um boi de presépio, uma Maria vai com as outras.

Desconfiada

A população está menos confiante no Judiciário, no governo federal e nos partidos políticos. A pesquisa Índice de Percepção do Cumprimento das Leis mostra que o percentual de pessoas que confiam nos partidos políticos caiu de 7% (2014) para 5% (2015) e, no governo federal, de 29% para 19%. Os que disseram confiar no Congresso Nacional permaneceram em 15% e os que confiam no Poder Judiciário caíram de 30% para 25%. A instituição mais bem avaliada foi a imprensa escrita, cujo índice aumentou de 42% para 45%.

Bicho pega

A entrevista coletiva agendada para hoje pelo Ministério Público Estadual tirou o sono de muita gente. Os promotores de Justiça devem informar que vão denunciar criminalmente alguns deputados estaduais, acusados de fazerem mau uso das verbas de subvenção da Assembleia. Ex-parlamentares também deverão ser incluídos na relação de acusados, futuros réus. Aguardemos, portanto!

Cidade alerta

O radialista Gilmar Carvalho estréia hoje na televisão. A partir das 19h, o “Cancão” apresentará o Cidade alerta Sergipe, programa policial - e otras cositas mas - com duração de 45 minutos.“Vamos exibir os principais fatos do dia, sempre com uma análise mais aprofundada” promete o experiente comunicador.

Zero oitocentos

Os advogados podem exercer a profissão gratuitamente tanto para entidades sem fins lucrativos quanto para pessoas comprovadamente pobres. Foi o que aprovou ontem, o Conselho Pleno da Ordem dos Advogados do Brasil. Antes, dependendo da seccional da OAB, o trabalho de graça era vetado como forma de proteger a categoria e, quando permitido, era apenas para entidades. Segue proibido fazer benesses para partidos e políticos.

Pataquada

E o Tribunal de Contas do Estado perde tempo e dinheiro analisando processos de quem já não se encontra entre nós. Na última sessão plenária, o TCE aprovou parecer da conselheira Susana Azevedo, rejeitando as contas do ex-prefeito de Itabaianinha, Joaldo Lima de Carvalho, referentes ao exercício de 2011. Nada de errado se o agora “condenado” pelo Tribunal de Contas não tivesse sido, lamentavelmente, assassinado no mês passado.

Leilão

A Agência Nacional do Petróleo divulgou o pré-edital da 13ª rodada de licitações de blocos para exploração e produção de petróleo e gás natural. O leilão acontecerá no dia 7 de outubro, com 266 blocos previstos, distribuídos em 10 bacias sedimentares, entre as quais a de Sergipe-Alagoas, com elevado potencial petrolífero.

Rádio em debate

Acontece daqui a pouco o seminário “Rádios comunitárias e comunicação eletrônica no estado de Sergipe”. Proposto pelo deputado federal João Daniel (PT), o evento acontecerá no plenário da Assembleia e visa debater planos, programas e projetos relacionados às emissoras ditas comunitárias. Entre os palestrantes, o secretário estadual de Comunicação, jornalista Sales Neto. Prestigie!

Acordo contestado

O Banco do Nordeste impetrou agravo de instrumento pedindo a anulação de um acordo judicial beneficiando empresas pertencentes aos familiares do dublê de político e empresário Edvan Amorim. Segundo publica o jornalista Gilvan Manoel no Jornal do Dia, a dívida de R$ 110 milhões, que as empresas têm com o BNB, foi reduzida para R$ 16,5 milhões. Pior é que o banco não foi chamado para participar do acordo feito em Itabaiana, embora a dívida tenha sido contraída em Minas Gerais.

Tapa na macaca

Drogas ilícitas fazem menos mal do que muitas drogas lícitas. Pelo menos é o que pensa o professor de medicina, João Menezes: “A proibição e criminalização de drogas são arbitrárias e hipócritas”. O pesquisador da Fiocruz, Francisco Inácio Bastos, concorda com o colega. Segundo ele, o efeito do álcool é muito mais devastador na sociedade do que o da maconha e nem por isso as bebidas alcoólicas são proibidas. Misericórdia!

Recorte de jornal


Publicado no Jornal do Aracaju em 12 de março de 1874.

#política

0 visualização