• Luxo Aju

Valadares Filho fala sobre as ações que implantará na presidência da CINDRA


Na semana passada, o deputado federal Valadares Filho assumiu a presidência de uma das mais importantes comissões da Câmara dos Deputados: a Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e Amazônia (CINDRA). O fato gerou forte repercussão em Sergipe e, por conta disso, nesta segunda-feira (27), ele participou de entrevistas em vários órgãos de imprensa do estado, como a TV Sergipe, TV Atalaia e Rede Ilha, com o objetivo de mostrar aos sergipanos o que ele pretende realizar a frente desta influente comissão durante a sua gestão.


De início, ele agradeceu ao partido (PSB) e aos seus pares pela confiança representada pela unanimidade dos votos com os quais foi eleito presidente da CINDRA, salientando a grande abrangência da comissão, que trata dos problemas regionais do Brasil, um país com dimensões continentais, com realidades muito diferentes e imensas desigualdades entre cada uma destas regiões.


Plano Nacional de Desenvolvimento Regional


Por isso, ele afirmou que pretende elaborar, até o final deste ano, o Plano Nacional de Desenvolvimento Regional que deverá ser entregue ao Governo Federal. Será uma prioridade de sua gestão. Para tanto, pretende fazer seminários regionais por todo o país, levando a comissão e seus parlamentares para mais perto da população, colher suas ideias e, a partir delas, gerar boas proposituras que venham a contribuir para diminuir as grandes desigualdades regionais que existe no Brasil.


Ele informou que a sua agenda de trabalho será intensa e começará amanhã com reuniões durante todo o dia: audiência com o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, com a presidente da Codevasf, Kênia Régia Anasenko Marcelino, o diretor geral do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), Ângelo José de Negreiros Guerra e com a assessoria técnica de seu gabinete para agendar audiências públicas para ouvir os diversos setores da sociedade, com vistas a construir um plano com uma ampla base de apoio social.


A importância da Presidência de uma Comissão Permanente


Segundo o deputado, são três as funções de relevância na Câmara Federal: ser membro da Mesa Diretora, líder de bancada e presidente de Comissão Permanente. Valadares Filho ressaltou que dos 513 parlamentares, só 25 são presidentes de comissões. Essa posição dá ao parlamentar uma influência muito maior no exercício de sua função na Esplanada.


Em seu caso, ao assumir o cargo de presidente da Comissão de Integração Nacional, crescerá a sua influência junto ao Ministério da Integração, com quem manterá um diálogo permanente com o objetivo de ajudar Sergipe e o Brasil a resolver seus problemas sociais, principalmente para desenvolver projetos que gerem empregos que permitam que se tenha um país mais justo.


Especificamente para Sergipe, ele disse que através das emendas de comissões, que são recursos volumosos, poderá trazer investimentos que venham a contribuir, verdadeiramente, com o desenvolvimento das diversas regiões do estado, nas mais diversas áreas, inclusive no combate à seca, com a presença de mais carros pipas e poços artesianos, que são ações que podem ser realizadas em curto e médio prazos.


Sobre a Seca


Segundo ele, sem um plano de longo prazo, o combate à seca será sempre feito com ações pontuais. “Existe um calendário das secas. Todos sabem que, no ano quem vem, salvo exceções, a seca continuará presente. Sempre foi assim. Por isso, é preciso ter planejamento, estabelecer um cronograma de ações. Isso estará presente no nosso Plano Nacional de Desenvolvimento Regional.”


Referindo-se às ações do Governo do Estado ele disse: “Hoje nós não temos a presença do Estado na região sertaneja, justo quando estamos vivenciando a maior seca dos últimos 50 anos. Não existe planejamento e se passa o tempo todo pondo a culpa no Governo Federal que, eu também acho, poderia estar dando uma contribuição maior. Mas eu pergunto: qual foi o dia em que o governo estadual se mudou para o sertão e promoveu ações efetivas para solucionar esse flagelo? Não existe esse dia”.


Sobre os problemas de Aracaju


Indagado sobre os problemas da capital, ele voltou a repetir uma frase que tem dito sempre: a administração de Edvaldo Nogueira é uma frustação anunciada. “Tudo que esta acontecendo nesse início de governo, era tudo aquilo que a gente dizia durante a campanha. Ele não lidera, não tem apetite para administrar, foge dos problemas e nas crises, ele mergulha.” Segundo Valadares “se o prefeito não resolve a questão da limpeza pública, que é um serviço básico, o que ele vai resolver?”.


Na questão da greve dos médicos, o deputado lembrou que nas últimas três/quatro gestões nunca houve uma greve que começasse no primeiro mês de governo e isso, agora, é tratado como coisa normal. Ele lembrou que na campanha Edvaldo dizia que ele era quem sabia tratar com os sindicados e com os servidores públicos, porque tinha experiência.


No entanto, frisou, hoje não existe diálogo com esses setores, citando inclusive o presidente do Sindicato dos Médicos, que disse que chega a ser até uma falta de respeito o que está acontecendo. “É preciso chamar pra conversar. Vá ao Sindicato, tenha a humildade que um líder ter para resolver os problemas, buscar consensos e achar soluções”, disse Valadares referindo-se ao fato de que o prefeito trata os problemas com distância, usando apenas as redes sociais.


Por fim, ele falou sobre o estelionato eleitoral que foram as questões envolvendo o IPTU e os salários dos servidores. Ele enfatizou que “Aracaju está sem um líder administrativo para enfrentar os problemas da cidade. Um líder que convoque entrevistas coletivas e vá às ruas e aos bairros para dialogar com os cidadãos”. E, ao ser perguntado sobre o futuro, foi enfático: “O sonho de governar Aracaju ainda está muito forte em meu coração”.