• Leandra Guaracho

País de hipócritas. Quem, eu?



É procurador denunciado, Juiz que está no bolso, promotor que está no papo, empresário que compra tudo, médico e hospital que acobertam bandido, jornalista que recebe mesada para ficar calado, membros do Tribunal de Contas do RJ que deveriam fiscalizar as contas envolvidos em denuncias. Presidentes que só pensam no umbigo, casal de marqueteiro que ri contando detalhes sórdidos de forma natural, prefeitos fingem que trabalham e nós fingimos que acreditamos.


Quase toda a estrutura de um país envolvido em corrupção


Aí você para e pensa:



Temos que mudar. Mas como? Eu começaria com questões simples: não jogando lixo na rua, respeitando as vagas dos deficientes e idosos, não furando fila, não tirando vantagem de nada e de ninguém. Isto é o básico. Certo? Para alguns sim. Mas temos um outro problema comum em nosso país: A moeda tem dois lados. Um único exemplo: Vigilância Sanitária é tão rígida com certos estabelecimentos comerciais que ignora o fato de feiras livres venderem carne de procedência duvidosa. Se a Friboi tinha selo de certificação o que me dirá a feira livre??? Quer mais: gatos de energia e água, tv a cabo, um chocolatinho para aquela pessoa que te passou na frente, um presentinho para outra que conseguiu amenizar aquele problemão, burlar filas, andar na contramão, passar no sinal vermelho, a lista é grande e os erros também.


Tantas leis e a maioria sem fiscalização.Se não há fiscalização dá-se um jeito ou faz uso do tráfico de influência, claro que não são todos.

ah, mas é cultural. Então devemos continuar? Nossa consciência e nosso caráter devem nos guiar. Um país que se diz em desenvolvimento nunca será desenvolvido continuando assim. Vamos atrás de nossos direitos, reclamar mais, brigar mais, não deu certo, tentamos novamente, não eleger quem foi denunciado, mudar nossa postura. A mudança começa por nós não por eles.