• Luxo Aju

Política by Adiberto de Souza


A afronta do recesso


Até os políticos acham exageradas as férias de 90 dias a que têm direito. Tanto é assim que, de quando em vez, os próprios apresentam projetos para reduzir o exagerado descanso. O vereador Fábio Meireles (PPS) é um deles. Ele vai tentar reduzir o recesso parlamentar na Câmara de Aracaju dos atuais 90 dias/ano para 52 dias. A redução poderia ser para um mês, porém a proposta de Meireles não deixa de ser um avanço. Entre as regalias da classe política a mais exagerada e afrontosa ao povo é o recesso parlamentar. Diferente do trabalhador comum, que labuta de sol a sol e o ano inteiro, os parlamentares registram presenças quatro dias por semana, podem faltar ao “trabalho” sem risco de ter o ponto cortado e tiram férias a cada seis meses. Pior é que muitos parlamentares ainda dizem trabalhar demais. Coitadinhos!


Leve e solto


Após passar mais de um mês trancafiado no Cadeião de Estância, o deputado federal eleito Valdevan Noventa (PSC) deverá ser solto nesta segunda-feira. A defesa dele conseguiu um habeas corpus no Supremo Tribunal Federal. Noventa foi em cana porque estava pressionando testemunhas. Mesmo solto, o parlamentar continuará respondendo processo sob a acusação de compra de votos na campanha eleitoral passada. Marminino!


Juntos e misturados


A partir de fevereiro, partidos que não alcançaram a cláusula de desempenho nas últimas eleições deixarão de existir: O PPL vai se unir ao PCdoB, o PRP se incorporará ao Patriota e o PHS buscou abrigo no Podemos. Segundo o jornal Valor Econômico, o caso do Rede Sustentabilidade é peculiar, pois não pode fazer nem fusão nem incorporação. Pela legislação, apenas legendas criadas há mais de cinco anos podem optar pelas mudanças e o Rede só tem três anos de existência. Aff Maria!


Vota contra


E o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) garante não existir a menor possibilidade de votar uma reforma da Previdência que não seja pra todos os brasileiros. “Se excluir militares e ou qualquer outra categoria, voto contra. Essa bomba não pode estourar só no lado mais fraco”, avisa. Mitidieri diz ter o maior respeito pelos militares “e sempre demonstrei isso no meu mandato, mas entendo que a reforma deve ser universal”. Certíssimo!


Pindaíba


Veja o que publicou no Jornal da Cidade a colega Thais Bezerra: “Não é das melhores a relação entre o prefeito de Canindé, Ednaldo da Farmácia (PP), e os servidores municipais. O relacionamento se agravou depois que a Prefeitura não pagou o 13º salário da categoria. O Sindicato dos Servidores já tentou sem sucesso se reunir com Ednaldo. Pelo visto, a turma vai penar um bocado para botar a mão no 13º salário do ano passado. Que miséria, meu Deus”. Bota miséria nisso, amiga!


PDT com Maia


E quem está satisfeito com o apoio do PDT à candidatura de Rodrigo Maia (DEM) à presidência da Câmara é o deputado federal eleito Fábio Henrique. A decisão de apoiar o demista foi tomada pelo PDT nacional no último sábado “Fico feliz porque essa sempre foi a minha posição”, afirma Fábio. Segundo o pedetista sergipano, “Rodrigo Maia tem sido um grande presidente da Câmara Federal”. Então, tá!


PM enlutada


A Polícia Militar perdeu dois policiais neste final de semana. Vítima de acidente, o sargento José Orlando Fraga Ferreira morreu sábado passado. Ontem, o sargento Erivaldo Rodrigues faleceu ao sofrer um infarto fulminante. Na última quinta-feira, o também sargento/PM Ronaldo Bispo Santos foi assassinato em Itaporanga ao reagir a um assalto. Lastimável!


Fora do processo


O ex-prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), foi excluído de 14 processos que apuram a contratação “de assessores-fantasmas” pela Prefeitura. Para tirá-lo das investigações a defesa comprovou que Alves Filho sofre do Mal de Alzheimer, doença degenerativa que provoca perda da memória. João Alves, a irmã Marlene Calumby, o ex-vice-prefeito José Carlos Machado e outros menos votados são acusados de terem contratado assessores que não apareciam no trabalho. Esta informação é do Jornal do Dia.


Aluno do capitão


De olho na Prefeitura de Aracaju, o deputado estadual Gilmar Carvalho (PSC) diz não querer apoio dos políticos. Ué, o que será que ele tem contra a classe política da qual faz parte há tanto tempo? Gilmar até parece um aluno aplicado do governador de São Paulo, João Dória (PSDB), e do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que se esforçam para esconder que são políticos. Misericórdia!


Recorte de jornal


Publicado no jornal aracajuano Gazeta do Povo, em 18 de outubro de 1924.