• Luxo Aju

Política by Adiberto de Souza


Prefeitos e vereadores bajulados


O mundo dá voltas e a política muito mais. Até o ano passado, os candidatos às prefeituras e câmaras municipais viviam mendigando aos deputados e senadores que aparecessem em suas caminhadas eleitorais e gravassem mensagens lhes apoiando. Hoje, são estes últimos que estão bajulando os prefeitos e vereadores, interessados naturalmente no apoio deles para suas candidaturas em 2022. Os pretensos postulantes a cargos majoritários não se cansam de paparicar seus futuros cabos eleitorais, prometendo gordas emendas ao Orçamento da União e recursos federais para obras nos municípios. Só não os convidam para fartos banquetes por causa da pandemia. Até 2022, os gestores municipais e vereadores serão tratados a pão de ló pelos pré-candidatos ao pleito do próximo ano, contudo depois das futuras eleições o jogo vira e, novamente, os prefeitos e vereadores voltarão a bater nas portas de seus hoje bajuladores para lhes pedir apoio político. E assim caminha a humanidade!


A coisa tá feia


Dez em cada 10 médicos e cientistas juram que este mês será trágico por conta do crescimento da propagação do coronavírus. O médico Drauzio Varella garante que as próximas semanas serão muito difíceis “e essas previsões não são pessimistas, são realistas”. O neurocientista Miguel Nicolelis também pensa assim. Segundo ele, este mês pode ser o pior momento da história do Brasil devido ao alto número de mortes por covid-19. Um exemplo dessa tragédia foi dado ontem pelo Hospital Primavera que, com a UTI lotada, suspendeu o atendimento de urgência para infectados com o vírus. Só Jesus na causa!


Abra o olho


Ficar em casa ainda é a melhor maneira de prevenir a contaminação pelo novo coronavírus. Então, se puder, fique em casa, mas se precisar sair, use máscara!


Cadê o relatório?


A Demora da estatal Serviços Gráficos de Sergipe (Segrase) em publicar o livro com o relatório da Comissão Estadual da Verdade segue gerando reclamações. A última é do professor doutor Antônio Fernando de Araújo Sá, do Departamento de História da Universidade Federal de Sergipe. No artigo “Até quando esperar?”, ele afirma que a divulgação do relatório final da comissão “é fundamental para que a sociedade reflita esses nexos entre o passado ditatorial e os impasses atuais da democracia”. Com a palavra o presidente da Segrase, Francisco Dantas. Marminino!


Dormiu na cadeia


Após ter passado 24 horas preso em uma delegacia de Aracaju, o ex-vereador Adriano Taxista foi colocado em liberdade, ontem, durante audiência de custódia. Antes teve que pagar uma fiança de R$ 5 mil. O ex-parlamentar foi preso sob a acusação de liderar os rodoviários responsáveis pela paralisação e depredação dos ônibus da Grande Aracaju. A categoria exige melhoria salarial e o cumprimento pelas empresas do acordo coletivo. Essa briga promete!


Bem na fita


Nos últimos 12 meses, o Banese registrou um crescimento de 23,4% nos seus ‘ativos totais’, chegando a R$ 6,8 bilhões em recursos financeiros e econômicos. Os dados fazem parte do Relatório de Resultados Anual divulgado ao mercado pelo banco sergipano. Veja alguns números: patrimônio líquido somou R$ 487,8 milhões (+12,4%); captações totais atingiram R$ 5,9 bilhões (+23,6%); operações de crédito totalizaram R$ 2,7 bilhões (+0,4%); e lucro líquido de R$ 54,3 milhões (-35%). Como dizem os coleguinhas colunistas sociais, bola branquíssima para o Banese. Bravo!


Quebrando um ciclo


Veja o que publicou o jornalista Eugênio Nascimento no blog Primeira Mão: “Eliane Aquino (PT) parece que será única vice desse ciclo de comando político de Sergipe nas mãos da centro-esquerda que não está escalada para suceder o titular do governo, Belivaldo Chagas (PSD) com o apoio do grupo. Esse ciclo começou com o petista Marcelo Déda, que deixou o seu vice Jackson Barreto governo e ele se reelegeu tendo Belivaldo como vice. JB saiu do governo e deixou Belivaldo para completar o seu mandato e depois foi eleito para o exercício da governadoria pelo voto direto com Eliane como vice. Na vez de Eliane, as relações governador/vice andam tensas”. Home vôte!


A fome ou a covid-19


A demora do Congresso em aprovar um novo auxílio emergencial está matando as pessoas de fome ou as empurrando, de peito aberto, para o encontro mortal com a covid-19. Vale ressaltar o que escreveu sobre a fome o ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal, Carlos Ayres de Britto: “A maior frustração desta Vida é a da panela que não vai ao fogo, do prato que não chega à mesa e do garfo que não sobe à boca, por falta de comida”. Misericórdia!


Aguarda ser chamado


Caso ocorra um chamamento popular, é muito difícil o prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) rejeitar o convite para disputar o governo de Sergipe. Quem pensa assim é o presidente da Câmara de Aracaju, vereador Nitinho Vitale (PSD), um aliado de primeira hora do pedetista. Entrevistado pelo Jornal da Cidade, o parlamentar disse que a sucessão estadual passará pelo governador Belivaldo Chagas (PSD) e, naturalmente, por Edvaldo, que terá uma importância muito grande na escolha do candidato “em virtude de sua votação no ano passado”. Então, tá!


Vida que segue


E o ex-senador Antônio Carlos Valadares (PSB) criticou a grande aglomeração de pessoas registrada na inauguração as Central de Abastecimentos de Itabaiana. Segundo ele, o governador Belivaldo Chagas (PSD) mandou às favas o risco potencial de contágio, reunindo um grande público na festa itabaianense. “As imagens são o retrato vivo da desídia e do mau exemplo”, frisou. E Vavá conclui dizendo que “nesse momento de aflição e dor por que passam as famílias pela perda de seus entes queridos, só falta ouvirmos a frase do governador que se tornou famosa por suas inoportunidade e frieza: Vida que segue”. Crendeuspai!


Imortais vão às urnas


Será nesta segunda-feira, a eleição para referendar o nome da professora doutora Ester Fraga Vilas Boas Carvalho do Nascimento como sucessora do ex-governador João Alves Filho na Academia Sergipana de Letras. Apenas ela se candidatou à cadeira nº 22, que tem como patrono Martinho Cezar da Silveira Garcez. O acadêmico João Alves morreu em novembro passado, aos 79 anos. O presidente da ASL, Anderson Nascimento, festejou a disposição da educadora em se tornar imortal. “A professora Ester é uma intelectual muito recomendada e abrilhantará a Academia com a sua atuação cultural”, frisou. Ah, bom!


Recorte de jornal


Publicado no jornal aracajuano A Notícia, em 13 de janeiro de 1897.