• Luxo Aju

Política by Adiberto de Souza



Bolsonaro sem palanque


Caso as eleições fossem hoje, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não teria em Sergipe um fornido palanque majoritário para subir, pedir votos e destilar biles contra os adversários. Até que se prove o contrário, nenhum dos pré-candidatos ao governo do estado – e já são muitos - deseja o apoio do capitão de pijama. Portanto, caso a maré não vire em seu favor, Bolsonaro terá que se contentar com um palanque meia boca, comandado por um inexpressivo direitista, daqueles que se candidatam ao governo apenas para marcar presença e dizer bobagens no horário eleitoral gratuito. A outra opção do presidente é não apoiar qualquer candidato ao governo em Sergipe, assim como fez no pleito municipal passado. Resta saber se, mesmo assim, o presidente repetirá o feito de 2018, quando teve no estado 32,46% dos votos, menos da metade dos 67,54% obtidos pelo petista Fernando Haddad. Marminino!


Vidas secas


De olho nos votos dos miseráveis, políticos sergipanos têm batido com frequência à porta do Ministério da Cidadania para mendigar cestas básicas. Visando conseguir comida para matar a fome dos deserdados, a senadora Maria do Carmo Alves (DEM) deu com os costados, ontem, no luxuoso gabinete do ministro João Roma. Saiu de lá esperançosa. Antes dela e com o mesmo objetivo, já se curvaram ao demista os deputados federais Fábio Mitidieri (PSD), Fábio Henrique (PDT), e o ex-deputado André Moura (PSC). Deve ser terrível viver no país onde, antes de matar a fome dos pobres, os políticos usam cestas básicas como moeda de troca eleitoral. Home vôte!

Fusão a caminho

As direções do PSB e do PCdoB estão em conversas avançadas para a criação do Socialistas, que seria a fusão dos dois partidos. É preciso aparar algumas arestas pelo Brasil afora, mas as lideranças nacionais das duas legendas acham ser esta a melhor saída contra a cláusula de barreira. Este dispositivo eleitoral impede o funcionamento parlamentar ao partido que não alcançar determinado percentual de votos. Em Sergipe, não será tarefa fácil recolocar no mesmo palanque o PSB dos Valadares e o PCdoB comandado pelo prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PDT). Mas em política tudo é perfeitamente possível. Crendeuspai!

Consome menos

O consumidor está mais consciente na hora de comprar. Segundo estudo da agência global Havas, 85% da população entendem que o progresso não está em consumir mais, mas em consumir melhor, enquanto 75% acreditam que um consumo exagerado pode impor riscos ao planeta e à sociedade. 45% dos entrevistados, no entanto, disseram ser usual comprar itens e produtos de que não precisam. Só Jesus na causa!

Biombo político

Criado para ser um órgão puramente técnico, o Tribunal de Contas de Sergipe é mais político do que muitos legislativos. Agora mesmo, não se comenta outra coisa nos corredores do TCE que não seja a possível candidatura do conselheiro Ulices Andrade ao governo de Sergipe. Nada demais para a maioria dos outros conselheiros. Quase todos vivem a incensar seus pupilos políticos: Angélica Guimarães, Luiz Augusto Ribeiro e o próprio Ulices torcem, respetivamente, pelos marido e filhos deputados. Talvez seja por isso que as línguas ferinas chamam aquele biombo de Tribunal faz de Contas. Misericórdia!

Caô caô

E quem ficou cheio de dedos durante uma entrevista à TV online do portal Itnet foi o ex-prefeito de Capela, Manoel Sukita (Republicanos). Apesar da insistência do entrevistador, o distinto não explicou como fica a sua relação política com o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD), após o pessedista ter se aliado ao ex-deputado André Moura (PSC). Como se sabe, Sukita não perdoa André pelo fato deste ter apoiado a reeleição da prefeita de Capela, Silvany Mamlak (PSC), que vem a ser ex-esposa do político capelense. Danôsse!


Filhote da ditadura


Decididamente, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sonha com os tempos sombrios, quando quem discordava do ditador de plantão era terrivelmente comunista, comedor de fígado de criancinhas. Basta ver quem são os heróis do dito cujo: o torturador Brilhante Ustra e os ditadores Alfredo Stroessner e Augusto Pinochet. Tomara que a escuridão da ditadura só ocupe a cabeça do capitão de pijama, que se compara ao desenho animado Johnny Bravo, um louro musculoso, estúpido, egocêntrico e vaidoso. Desconjuro!

Tirando uma casquinha

Candidata derrotada à Prefeitura de Aracaju, a delegada de polícia Danielle Garcia (Cidadania) aproveitou o despejo de famílias do edifício Danusa, no centro da capital, para fustigar o adversário Edvaldo Nogueira (PDT): “Será que o prefeito de Aracaju não sabia da ação de reintegração de posse do imóvel da família de sua esposa?”, questionou a cidadanista. Danielle sugeriu, ainda, que a construtora Cosil entregue o prédio em questão como pagamento da enorme dívida que tem com o município e, em seguida, a Prefeitura faça doação do imóvel às famílias sem teto. É, pode ser!

Volta pra casa

O ex-deputado estadual Jairo de Glória (PRB) está de volta a Assembleia Legislativa. Nesta terça-feira, ele assume a cadeira do deputado Capitão Samuel (PSC), licenciado por 130 dias para tratamento da saúde. Nas eleições de 2014 Jairo foi eleito deputado com 22.560 votos. Em 2018, disputou a reeleição, teve 14.610 votos, ficando na suplência. “Durante o período em que estiver deputado, trabalharei incansavelmente pra defender os anseios do povo querido do sertão”, promete o novo parlamentar. Então, tá!

Brasil de luto

Mais de 450 mil brasileiros e brasileiras já morreram vítimas da covid-19. Ontem, o senador Rogério Carvalho (PT) se solidarizou “com cada uma das 450.026 famílias das vítimas fatais desse projeto genocida de Bolsonaro. O Brasil com 2,7% da população mundial, responde por mais de um terço das mortes por covid no mundo”, lamentou. Segundo o petista, o governo Bolsonaro ignora vacinas e aposta na imunidade de rebanho, com contaminação em massa da população. Uma lástima!

Recorte de jornal



Publicado no jornal Correio de Aracaju, em 11 de outubro de 1923.