top of page
  • Foto do escritorLuxo Aju

Política by Adiberto de Souza



Acordos eleitorais estão indefinidos


Até maio próximo, quando termina o prazo para a criação das federações partidárias, é prematuro dizer quem vai com quem ao baile eleitoral deste ano. Claro que os entendimentos prosseguem entre as lideranças políticas, mas todas estão com um pé atrás. É que, a depender dos acordos partidários, muitas pré-candidaturas podem ir por água abaixo. Ademais, qualquer possível entendimento político nos estados passa pela disputa presidencial. Quer um exemplo? Será que o calejado Lula da Silva (PT) abriria mão de um possível apoio do PSD por causa da pré-candidatura do petista Rogério Carvalho ao governo de Sergipe? Portanto, não apostem nada antes que as federações partidárias estejam sacramentadas e que os acordos em torno da eleição a presidente da República tenham sido fechados. Quem se apressar, corre o risco de perder dinheiro antes da hora. Marminino!


Tempos modernos


As mudanças na forma de os candidatos se comunicarem farão a diferença no resultado das eleições deste ano. Diferente do passado, quando era preciso reunir o povo em grandes comícios para apresentar as promessas, os candidatos contam com internet, ferramenta que propaga as mensagens rapidamente e para um número incalculável de pessoas. Portanto, o candidato que não estiver preparado para fazer uso do palanque virtual e competência para se defender dos ataques adversários, dará com os burros n’água, por mais limpo que seja o seu passado. Danôsse!


Ausência sentida


A ausência da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, na abertura do Sealba Agroshow, em Itabaiana, foi sentida pelos organizadores do evento. A ilustre convidada cancelou todos os compromissos após ter testado positivo para a covid-19. Como o Sealba prossegue até amanhã, os promotores torcem que o presidente Jair Bolsonaro (PL) resolva dar com os costados na festa, tida como um dos maiores eventos do agronegócio do Nordeste. Aguardemos, portanto!


Folia cancelada


O governo de Sergipe botou água no chopp dos servidores estaduais que pretendiam cair na folia este ano. De uma canetada, o governador Belivaldo Chagas (PSD) cancelou os pontos facultativos previstos para os dias 28 de fevereiro, 1º e 2 de março próximo, datas da folia momesca. A medida visa conter a propagação da covid-19, que tem matado no estado uma média de seis pessoas por dia. No mesmo decreto, o governador prorrogou o retorno das aulas presenciais da rede estadual de ensino para o dia 7 de março. Fez muito bem!


Passaporte vacinal


E o vereador Professor Bittencourt (PCdoB) defende que as pessoas apresentem atestado de vacina contra a covid-19 para ter acesso aos locais de uso coletivo em Aracaju. “Precisamos discutir isso, pois nada é mais importante do que o cuidado com a vida”, discursa o comunista. O moço, inclusive, já apresentou um projeto de lei nesse sentido. Caso a proposta de Bittencourt seja aprovada, o estabelecimento comercial que não exigir o passaporte vacinal sofrerá penalidades de advertência, multa, interdição ou cassação da licença. Crendeuspai!


Medo da covid-19


As sessões plenárias da Assembleia Legislativa voltam a ser realizadas no sistema misto remoto. O motivo é o crescimento de casos da covid-19 e as consequentes mortes provocadas pela doença. A mudança foi anunciada presidente interino do Parlamento, deputado Francisco Gualberto (PT). Segundo ele, a medida começa a valer na próxima terça-feira e, tal qual ocorreu em 2020 e 2021, não deverá trazer nenhum prejuízo aos trabalhos legislativos. Ah, bom!


Dou-lhe uma...


Construído em 1956, na Praça Fausto Cardoso, centro de Aracaju, o Edifício Walter Franco está à venda. O prédio de seis andares representa o lote 04 do leilão que a Secretaria de Estado da Administração fará no dia 24 do próximo mês. O lance inicial é de cerca de R$ 8 milhões, 32 mil e alguns quaraminguás. O edifício foi construído no governo do udenista Leandro Maciel para abrigar as repartições públicas. Na época, era conhecido como o Palácio das Secretarias. Em 1957, o Walter Franco ganhou em sua faixada um belo painel do artista plástico Jenner Augusto. Quer comprar?


Defesa do reajuste


O presidente do PSB sergipano, Valadares Filho, apelou ao governador Belivaldo Chagas (PSD) para que se sensibilize com a situação de extrema dificuldade vivida pelos servidores estaduais. Vavazinho sugeriu ao pessedista que conceda um reajuste salarial à categoria superior à inflação do período. Aproveitou para defender a luta dos policiais civis e militares em favor da reestruturação da carreira. Resta saber se Belivaldo vai acatar os palpites do ex-aliado. Misericórdia!


Cuia de votos


Comparado com o eleitorado do Brasil, Sergipe tem apenas uma cuia de votos. Os pouco mais de 1,6 milhões de sergipanos aptos a votar, representam apenas 1,101% dos quase 146 milhões de votantes brasileiros. E nessa mão cheia de votos, Aracaju lidera no estado com cerca de 405 mil portadores de títulos, enquanto o pequeno município de Amparo do São Francisco só tem 2.640 eleitores. Talvez, por sermos tão pouco representativos eleitoralmente, alguns candidatos à Presidência da República nem se dão ao trabalho de visitar Sergipe durante a campanha eleitoral. Arre égua!


Piso judicializado


O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PDT), garante que o reajuste de 33,24% do piso dos professores tem um impacto gigantesco em algumas prefeituras. “Para cada 10% de aumento na folha de pessoal, por exemplo, existe um aumento de 30% na despesa com a previdência”, afirmou o pedetista, que é presidente da Frente Nacional dos Prefeitos. Entrevistado pelo portal Uol, Edvaldo disse que a majoração do piso dos professores é “impraticável para a maioria das cidades brasileiras” e que a Frente estuda a possibilidade de ir à Justiça contra o reajuste. Home vôte!


Filosofia de Britto


Do sergipano Carlos Ayres de Britto, ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal: “O interior da gente existe pra ser maior que o exterior. O exterior sabe disso, mas silencia”. Cruzes!


Recorte de jornal



Publicado no jornal aracajuano A Notícia, em 28 de outubro de 1896.

Comments


bottom of page