top of page
  • Foto do escritorLuxo Aju

Política by Adiberto de Souza



Temendo racha, governistas seguem indefinidos


Ainda não foi ontem que os governistas definiram quem disputará o Senado pelo grupo. Após horas reunidos, os liderados do governador Belivaldo Chagas (PSD) “empurraram” a decisão para a próxima quinta-feira. O pedido para prorrogar o anúncio partiu de Jackson Barreto (MDB), que disputa a indicação com o deputado federal Laércio Oliveira (PP). O emedebista não teria gostado da ideia de o grupo lançar dois candidatos ao Senado. Diante disso, solicitou um tempo para conversar com os familiares e aliados políticos. Como Laércio já disse que não abre da disputa senatorial nem para um trem, é bem provável que JB aceite a proposta de duas candidaturas ou desista da contenda interna. O temor dos governistas é que o emedebista não apenas recue, mas pule fora da canoa situacionista para cair nos braços da oposição. O PT, por exemplo, adoraria receber o MDB na coligação, desde que Jackson aceite disputar uma cadeira na Assembleia. Resta saber o que JB pensa dessa ideia. Crendeuspai!


Crime denunciado


O senador Alessandro Vieira (PSDB) entende que reunir embaixadores, como fez o presidente Jair Bolsonaro (PL), para atacar o processo eleitoral brasileiro e a legitimidade da Justiça caracteriza um flagrante crime de responsabilidade. Apesar da gravidade do fato, o tucano não acredita que o capitão de pijama será punido. Para Vieira, este será mais um crime “que ficará soterrado em alguma gaveta travada pelas artimanhas do Orçamento Secreto”. Alessandro afirma, ainda, será preciso entender “quais são os mecanismos democráticos para lidar com um presidente da República que comete crimes de responsabilidade em série”. Misericórdia!


Tirou o time


A disputa para o Senado em Sergipe terá um candidato a menos. O coronel Rocha (Mobiliza) desistiu da empreitada, contrariado com a direção estadual do partido. O oficial da Polícia Militar não concordou com a forma como a legenda abortou a pré-candidatura a governador de Emmanuel Franco Filho. Rocha disse que também contribuíram para a sua desistência “as gravíssimas denúncias feitas ao Ministério Público Federal por filiados do Mobiliza contra o seu presidente Cezar Cardoso”. Em nota explicando a decisão, coronel Rocha revela que segue apoiando a reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL). Então, tá!


Deputado inelegível


Muita gente se surpreendeu com a informação, divulgada aqui na coluna, dando conta que o deputado estadual João Marcelo (PT) está inelegível da Silva Xavier. Pois está! Além de ter seu recurso contra a inelegibilidade rejeitado pelo Tribunal Superior Eleitoral, o parlamentar foi derrotado no Agravo Regimental impetrado no mesmo TSE em maio passado. O ministro-relator Alexandre considerou o remédio jurídico desprovido, tendo sido seguido em seu voto pela unanimidade dos demais ministros. João Marcelo foi punido por omissão de despesas e por ter estourado o teto de gastos quando era prefeito de Nossa Senhora das Dores. Danôsse!

Comida na mesa

O deputado estadual Iran Barbosa (Psol) participou do aniversário de um ano da Cozinha Solidária Danielle Bispo, mantida pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) no município de São Cristóvão. O parlamentar garante que a iniciativa representa um ato de resistência “num país que possui 125,2 milhões de pessoas convivendo com algum grau de insegurança alimentar”. Inaugurada em julho do ano passado pelo coordenador nacional do PTST, Guilherme Boulos (Psol), a Cozinha Solidária é mantida com doações de pessoas físicas, além de contar com o apoio de diferentes organizações parceiras. Supimpa!

Federação registrada

Seguindo orientação de suas executivas nacionais, PT, PV e PCdoB registraram no Tribunal Regional Eleitoral a federação partidária batizada de “Brasil da Esperança. Pelo registro, o grupamento terá como presidente em Sergipe o deputado federal João Daniel (PT). Essas associações de partidos visam salvar da extinção legendas pequenas. A federação precisa durar por no mínimo quatro anos e, para ser válida em uma eleição, deve ser constituída até o prazo final para a realização das convenções partidárias. Ah, bom!

Aposta na indicação

O deputado federal Laércio Oliveira (PP) está confiante que será o indicado pelos governistas para disputar uma cadeira no Senado. Segundo o pepista, caso se confirme a indicação do nome dele, terá sido graças à uma construção coletiva feita pelo Progressistas, “que se organizou e tem quadros extremamente capacitados para os desafios que o momento político impõe”. Laércio disputa com o ex-governador Jackson Barreto (MDB) o direito de ser o postulante ao Senado, decisão que deverá sair na próxima quinta-feira. Aguardemos, portanto!

Pronta para governar

E a pré-candidata a governadora Niully Campos (Psol) se diz preparada para administrar Sergipe, “porque estou rodeada de pessoas que defendem e acreditam em nosso programa”. Entrevistada por uma emissora de rádio, a postulante ao Executivo sergipano afirmou que não existe falar em governo, sem abordar algumas causas específicas, como racismo, direito das mulheres, LGBTfobia e direitos básicos como alimentação e moradia. A advogada Niully Campos tentou sem sucesso se eleger vereadora de Aracaju, em 2016, e deputada estadual, em 2018, sempre pelo Psol. Quem sabe agora vai, né? Marminino!

Podemos em festa

Será hoje o lançamento oficial da pré-candidatura de Danielle Garcia (Pode) ao Senado. O evento festivo está agendado para às 19 horas, na sede da Associação dos Engenheiros Agrônomos de Sergipe, zona sul de Aracaju. Segundo nota do Podemos, na mesma solenidade também serão apresentados os nomes dos pré-candidatos a deputado estadual e federal do partido. A delegada Danielle deve fazer dobradinha com o postulante ao governo estadual, senador Alessandro Vieira (PSDB), embora outros pré-candidatos majoritários ainda tentem se aliar à fidalga. Aff Maria!


Festival de sanduba


O Republicanos de Sergipe gastou a bagatela de R$ 31 mil com hambúrguer e refrigerantes para alimentar os participantes da convenção estadual do partido, realizada em 2018. Esta informação foi publicada pela Folha de S. Paulo. Segundo o jornal paulista, naquele ano, o PRB -nome do partido na época- teve Ivan Leite como candidato a vice-governador na chapa encabeçada por Eduardo Amorim (PSDB), que terminou a eleição com 20,5% dos votos válidos. O presidente do Republicanos, pastor Jony Matos, explicou que a compra dos sanduiches e refrigerantes foi uma forma que a legenda arrumou de facilitar a logística da convenção. Home vôte!


Comments


bottom of page