top of page
  • Foto do escritorLuxo Aju

Política by Adiberto de Souza


Convite recusado


A primeira dama de Aracaju, Danusa Silva (PDT), disse não ao convite para ser candidata a vice-governadora na chapa encabeçada por Fábio Mitidieri (PSD). Segundo publica em seu blog a jornalista Rita Oliveira, após a recusa da empresária, o pessedista cancelou a agenda que cumpriria na periferia da capital, ontem à noite. Ainda de acordo com a coleguinha, os governistas cogitam convidar a deputada estadual Maria Mendonça (PSD) para compor a chapa de Mitidieri. O objetivo seria atrair os eleitores do agreste sergipano, majoritariamente simpáticos ao pré-candidato a governador inelegível Valmir de Francisquinho (PL). Aguardemos, portanto!


Tapas e beijos no palanque do PT


O beijo que Jackson Barreto (MDB) deu na cabeça de Valadares Filho (PSB), ao anunciar seu apoio a Rogério Carvalho (PT), pode ter selado a paz entre os dois, porém não apagou a raiva que o pai de Vavazinho ainda nutre por JB. Ao contrário do filho, o ex-senador Antônio Carlos Valadares quer distância de Jackson: “Não pretendo andar com ele, de braços dados, pra cima e pra baixo”, alertou o veterano pessedista. E Vavá deixou claro não ter esquecido as escaramuças da campanha de 2018, quando ele e o emedebista tentaram, sem sucesso, se eleger senador: “Há quatro anos não toco no nome dele, nem para o bem, nem para o mal”, frisou. Portanto, quem for aos comícios do PT assistirá uma relação de tapas e beijos entre Jackson e os Valadares. Rompido com os governistas e disposto a coordenar a campanha do presidenciável Lula da Silva em Sergipe, JB pode até votar em Vavazinho para o Senado, mas não receberá nem um bom dia do pai de seu novo aliado. De pirraça, também não deve votar em Antônio Carlos Valadares, pré-candidato a deputado estadual. Misericórdia!


Debates obrigatórios


Para impedir as ausências nos debates, o pré-candidato a governador de Sergipe, senador Alessandro Vieira (PSDB), protocolou um projeto de lei tornando obrigatória a participação de candidatos a cargos em, no mínimo, três debates. O tucano quer evitar casos como o ocorrido em 2018, quando o então candidato a presidente Jair Bolsonaro (PL) se recusou a debater com os adversários. A propositura do tucano prevê punições para os postulantes que não comparecerem ao debate. Segundo o projeto, as regras valem para candidatos que tenham, no mínimo, 5% das intenções de voto nas pesquisas. Ah, bom!


PF quer mais tempo


A Polícia Federal quer mais tempo para concluir o inquérito sobre a morte violenta de Genivaldo de Jesus Santos, ocorrida no interior de Sergipe. Após ter sido algemado e espancado, o sergipano foi colocado numa câmara de gás improvisada na viatura da Polícia Rodoviária Federal. Toda essa violência foi motivada pelo simples fato de Genivaldo, que era portador de problemas mentais, ter sido flagrado pilotando uma motocicleta sem capacete. Os policiais rodoviários responsáveis por tamanha brutalidade estão leves e soltos. Só Jesus na causa!


Chapas proporcionais


O MDB terá 17 candidatos a deputado estadual e federal. O anúncio das chapas proporcionais foi feito pelo presidente do partido, Jackson Barreto. Durante a reunião ocorrida ontem, os postulantes a mandatos legislativos foram apresentados ao empresário Sérgio Gama (MDB), pré-candidato a vice-governador na chapa encabeçada por Rogério Carvalho (PT). JB explicou aos aliados o motivo de ter deixado o governo para apoiar o postulante petista e coordenar a campanha do presidenciável Lula da Silva (PT). Antes do rompimento com os governistas, o MDB tinha confirmados 18 pré-candidatos a deputado estadual e nove à Câmara Federal, o que significa dizer que 10 deles bateram em retirada. Marminino!


Voto vencido


Dependesse do pré-candidato a governador de Sergipe, João Fontes (PTB), o partido dele não teria lançado a pré-candidatura à Presidência do presidiário Roberto Jefferson. O sergipano tentou explicar a sua posição na convenção do partido, realizada ontem em Brasília, porém não foi ouvido. Voto vencido, Fontes retornou a Sergipe e se reunirá ainda hoje com o grupo petebista, devendo anunciar, em seguida, a sua posição sobre a extemporânea pré-candidatura presidencial do partido. O indulto natalino que tirou Jefferson da cadeia não abrange as penas secundárias, o que significa que até 2024 o dito cujo está inelegível da Silva Xavier. Danôsse!


Vereador enlutado


O vereador Palhaço Soneca (PSD) perdeu o pai Albino Gama da Luz. A Câmara de Aracaju lamentou o falecimento, ocorrido no último domingo. O parlamentar ficou órfão seis anos após ter conhecido o genitor, graças a um exame de DNA patrocinado pelo programa Domingo Legal, da TV SBT. Na época, Soneca festejou o fato de ter conhecido o pai, tendo passado a assinar Alexsandro da Conceição Luz. A emissora também mostrou a trajetória do vereador, desde a época de lavador de carro, passando pelas brincadeiras como palhaço, até chegar à Câmara de Aracaju.


Chapa puro sangue


O Psol fará convenção, quinta-feira próxima, para homologar suas candidaturas majoritárias e proporcionais. A advogada Niully Campos disputará o governo estadual, tendo como postulante a vice Demétrio Varjão, enquanto o também causídico Henri Clay Andrade será candidato ao Senado. A convenção que homologará a chapa puro sangue acontecerá no plenário da Assembleia Legislativa. Para presidente da República, o Psol apoia o petista Lula da Silva. Então, tá!


O mesmo do mesmo


O pré-candidato a governador Fábio Mitidieri (PSD) fez barulho para festejar o apoio dos irmãos Fábio e Sérgio Reis – ambos do PSD. Nada demais se os dois lagartenses já não tivessem aderido ao projeto do pessedista bem antes de os governistas terem decidido que o distinto seria o pré-candidato ao grupo. Ao alardear um apoio já sacramentado há muito tempo, Mitidieri deixa transparecer que as adesões ao seu projeto estão diminuindo, principalmente no interior de Sergipe onde a disputa pelas lideranças políticas municipais tem sido acirradíssima. Crendeuspai!


Sem exonerações


Uma boa notícia para os familiares e protegidos de Jackson Barreto (MDB) ainda aboletados em cargos comissionados no governo de Sergipe: o Diário Oficial do Estado desta terça-feira não publica qualquer decreto de exoneração. Mas isso não significa que tenha estancado o clima de caça às bruxas, iniciado desde que JB chutou o pau da barraca governistas para se juntar à caravana eleitoral do PT. O próprio governador Belivaldo Chagas (PSD) deu a entender que vai assinar outros cartões vermelhos, ao afirmar que não pretende exonerar todos os mais de 200 comissionados da quota de Jackson Barreto. Home vôte!


Comentários


bottom of page