top of page
  • Foto do escritorLuxo Aju

Política by Adiberto de Souza



Tem um Valmir no caminho de Mitidieri


É voz corrente em Sergipe que a raiva de Valmir de Francisquinho (PL) com os governistas atingirá em cheio o candidato a governador de Fábio Mitidieri (PSD). Inelegível e com o registro da candidatura negada pela Justiça Eleitoral, o político liberal culpa o PSD pelas punições que o proíbem de concorrer ao governo estadual. Mesmo estando impedido de disputar as eleições, Francisquinho pretende permanecer no palanque com o único objetivo de destroçar o projeto político de Mitidieri. Resta saber se Valmir conseguirá transformar a sua revolta em votos contra o adversário e até que ponto essa contenda entre ele e Fábio beneficiará os também candidatos a governador Rogério Carvalho (PT) e Alessandro Vieira (PSDB). Os dois aparecem embolados com o pessedista nas pesquisas de intenção de votos. Portanto, o marketing de Mitidieri terá muito trabalho para impedir que o político inelegível impeça a ida do governista ao 2º turno das eleições. Misericórdia!


Candidaturas pendentes


Devem ser julgadas hoje todos os pedidos de registros pendentes no Tribunal Regional Eleitoral. Entre eles se destacam as candidaturas à Câmara Federal de Eliane Aquino (PT), Fábio Henrique (UB) e Valdevan Noventa (PL); a deputado estadual de Cristiano Cavalcante e Luizão Dona Trampe – ambos do União Brasil; e a vice-governador de José da Silva (PSTU), o “Léo”, em substituição a Leide Lima (PSTU). As atenções estão voltadas para o pedido de impugnação da petista Eliane Aquino, acusada de não ter se afastado a tempo das presidências dos conselhos estaduais. Aguardemos, portanto.


Vítima de golpistas


O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PDT), voltou a ser vítima de golpistas, através do Whatsapp. Pelo Twitter, o gestor alertou a população para o fato de estarem utilizando a foto dele visando aplicar golpes. “Por favor, peço que denunciem este número +557999369250 e ignorem qualquer pedido dele”, afirma. Edvaldo já registrou queixa na Polícia contra os mequetrefes. Em julho passado, Nogueira foi vítima desse mesmo crime. À época, ele informou pelas redes sociais que não havia mudado o número do telefone celular “e não estou pedindo qualquer quantia de dinheiro para ninguém”. Só Jesus na causa!


Tem índio na política


O índio Lindomar Xocó (PT) quer se eleger deputado estadual. Primeiro indígena a ocupar um cargo político em Sergipe, ao se eleger vereador de Porto da Folha, o integrante da Tribo Xocó pretende representar os povos indígenas e as comunidades quilombolas na Assembleia Legislativa. Em sua campanha, Lindomar diz que o sonho dele é “ver o meu povo sorrindo sempre”. Outro dia, o Xocó comemorou o apoio recebido do ex-prefeito de Poço Redondo, frei Enoque Salvador. “Se eu já era forte, agora estou ainda mais fortalecido”, discursou. Então, tá!


Disputa em família


A família do saudoso ex-governador João Alves Filho tem três candidatos disputando as eleições. A professora Marlene Calumby (Patriota) e o ex-prefeito de Propriá, Luciano de Menininha (PP), são candidatos a deputado federal, enquanto Ana Alves quer se eleger para o Legislativo estadual. Ela é filha de João é da senadora Maria do Carmo Alves, que abriu mão de disputar a reeleição. Marlene é irmã do ex-governador, enquanto Luciano é sobrinho de Dona Maria, que está fazendo campanha para ele e a filha. Ah, bom!


Abaixo o preconceito


As mulheres negras são o principal alvo de comentários depreciativos nas redes sociais. Estudo feito pelo pesquisador e PHD em Sociologia Luiz Valério Trindade, mostra que entre os que disseminam intolerância racial, 65% são homens na faixa de 20 e 25 anos. Já 81% dos alvos de discurso depreciativo são mulheres negras entre 20 e 35 anos. As principais vítimas de agressões na internet são médicas, jornalistas, advogadas e engenheiras negras. Creindeuspai!


Alvo errado


Veja o que publicou no Jornal da Cidade a amiga Thaís Bezerra: “Muitos candidatos escolheram como alvo de seus ataques o governador Belivaldo Chagas (PSD), que não concorre a nada nas eleições deste ano. Entre estes críticos está a deputada estadual Kitty Lima (Cidadania), que alardeia ter chegado onde está pelos próprios esforços, “sem padrinho político nem rabo preso”. Segundo a candidata à reeleição, “o que falta no governo de Belivaldo é vergonha na cara”. Só quando os votos forem apurados é que saberemos se os frequentes ataques ao governador renderam votos aos seus críticos”. Marminino!


Eleitos sem votos


Exatos 14 candidatos tentam se eleger em Sergipe nas eleições de outubro sem que para tanto precisem de um único voto. São os escolhidos suplentes dos postulantes à única vaga para o Senado. Estão registrados como reservas de luxo Antônio Alves (DC), irmão Antônio Carlos (DC), Ezequiel Leite (PSDB), Adriano Barbosa (Pode), Edilma Amorim (PL), João Fontes (PTB), Professor Jossimário Mick (Psol), Izaltina Quilombola (Psol), Nalvinha Santos (PSTU), Paulo (PSTU), Janier Mota (PSD), Fernando Carvalho (PP), Emanuel Oliveira (PV) e Márcio Macedo (PT). Negocinho bom, né?


De feira em feira


Mesmo inelegível o ainda candidato a governador Valmir de Francisquinho (PL) segue em campanha. Ontem, o ilustre esteve nas feiras de Nossa Senhora do Socorro e do Conjunto Residencial Bugio, em Aracaju. Valmir se apresenta como “uma voz em defesa dos feirantes, dos marchantes, das fateiras e de todo povo simples que necessita de alimento de qualidade e barato na mesa da sua família”. Francisquinho aproveita para criticar aqueles que “tentam, a todo custo, acabar com as feiras e concentrar o abate de animais nas mãos de poucos empresários”. Home vôte!


Doença da moda


Somente em Sergipe, algumas centenas de pessoas estão seriamente acometidas pela febre da vitória, mal que aparece em parte da população a cada dois anos. As vítimas dessa moléstia são chamadas ‘clinicamente’ de candidatos a presidente, governador, senador, deputado federal e estadual. Todas adquirem um repentino entusiasmo e saem a espalhar que serão eleitos. Essa “doença” provoca miragens e não tem remédio conhecido, porém desaparece logo após a contagem dos votos. Deixa como sequelas uma forte dor de cabeça e uma terrível mania de desconfiança. Todos são vistos pelo convalescente como traidores desalmados. Cruz, credo!


É proibido prender


A partir da próxima sexta-feira, nenhum candidato a cargo eletivo poderá ser detido ou preso, exceto em flagrante. A determinação, que consta no calendário eleitoral do Tribunal Superior Eleitoral, está em acordo com o Código Eleitoral. O artigo 236, § 1º, estabelece que “os membros das mesas receptoras e os fiscais de partido, durante o exercício de suas funções, não poderão ser detidos ou presos, salvo o caso de flagrante delito; da mesma garantia gozarão os candidatos desde 15 dias antes da eleição”. Aff Maria!


Kommentare


bottom of page