top of page
  • Foto do escritorLuxo Aju

Política by Adiberto de Souza



Meros pagadores de salários


A maioria dos prefeitos que tomará posse daqui a 12 dias não cumprirá as promessas feitas na campanha eleitoral. Isso porque os recursos disponíveis nas prefeituras mal dão para pagar a folha de pessoal e executar serviços básicos, como manutenção de ruas e praças, coleta de lixo e abastecimento da frota de veículos. A baixa atividade econômica e a pequena arrecadação de tributos, fazem com que grande parte dos municípios seja dependente das transferências externas. Muitos prefeitos em fim de mandato comemoram o fato de pagar em dia o funcionalismo, assim mesmo graças ao Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), usado por oito em cada 10 municípios para custear a folha dos professores. Sem as transferências estaduais e federais, como o Fundo de Participação dos Municípios, a grande maioria das prefeituras já tinha fechado as portas para balanço. Portanto, embora tenham prometido mundos e fundos aos eleitores, os futuros prefeitos vão tomar posse sabendo que não honrarão as promessas. Com o dinheiro que encontrarão em caixa, quando muito, eles conseguirão pagar a folha de pessoal em dia. Crendeuspai!


Galinha-verde


Alguém sabe de quem foi a infeliz ideias de substituir por um horrível traje verde-cana a tradicional roupa vermelha do Papai Noel que fica no centro de Aracaju? As pessoas que passam pelo calçadão tiram a maior onda com o “bom velhinho”, confundido com um “galinha-verde” da Ação Integralista Brasileira, fundada por Plínio Salgado, em 1932. Ainda está em tempo de devolverem a vistosa roupa vermelha do Papai Noel, para que o coitado tenha um Natal menos cabuloso. Misericórdia!


Ciganos aterrorizados


O Instituto Cigano do Brasil denunciou o clima de terror vivido pela comunidade cigana residente em Umbaúba, zona sul de Sergipe. Segundo o presidente da entidade, Rogério Ribeiro, as famílias estão apavoradas com a ação da Polícia, que atua na região visando desvendar os assassinatos dos policiais civis Marcos Luis Morais e Fábio Alessandro Pereira Lopes. Desde o dia deste terrível crime, sete ciganos já foram presos e outros cinco morreram, segundo a Polícia, em troca de tiros por terem reagido à voz de prisão. Rogério defende a punição dos culpados pelas mortes dos agentes, mas implora que a ação policial não seja voltara contra toda a comunidade cigana de Umbaúba. Aff Maria!


Feliz Natal


Reeleito para mais um mandato, o prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) divulgou mensagem convidando a população de Aracaju para celebrar e “reacender a esperança de que 2021 será um ano muito melhor e próspero”. O pedetista ressalta que 2020 foi difícil para toda a humanidade devido a Covid-19 e, justamente por causa da pandemia, ele sugere que as pessoas continuem tomando os cuidados necessários de higienização e mantendo o distanciamento social. Certíssimo!


Cultura festejada


O ex-senador Antônio Carlos Valadares (PSB) está comemorando a produção de pêras no perímetro irrigado de Canindé do São Francisco. Vavá lembra que a implantação dessa cultura no semiárido sergipano foi possível graças a uma emenda parlamentar apresentada por ele e que garantiu os recursos para as pesquisas desenvolvidas pela Embrapa, Codevasf e o governo de Sergipe. O projeto de produção de uvas e pêras em Canindé teve início em 2016. E viva o homem do campo!


E o salário, ó!


Escudado na crise financeira, o governo de Sergipe se nega, há anos, a recompor as perdas salariais sofridas pelos servidores públicos. Aliás, neste quesito, o executivo sergipano desrespeita à Constituição Federal há muito tempo. O congelamento dos salários são a maior prova de que o governo não prioriza quem, de fato, toca a máquina pública estadual. Ó Céus!


Barra pesada


As mulheres trabalham, em média, 7,5 horas a mais que os homens por semana. Isso ocorre devido à dupla jornada, que inclui tarefas domésticas e trabalho remunerado. Segundo estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, a jornada média das mulheres é de 53,6 horas e a dos homens, de 46,1 horas. Em relação às atividades não remuneradas, a proporção se manteve quase inalterada ao longo de 20 anos: mais de 90% das mulheres declararam realizar atividades domésticas; os homens, em torno de 50%. Ufa!


Políticos ladrões


Com as exceções de praxe, os políticos brasileiros não passam de um bando de ladrões. Dia sim outro também a Polícia Federal começa o expediente prendendo gestores e parlamentares, todos flagrados metendo a mão grande nas verbas da educação, saúde, segurança, etcétera e tal. Tem daqueles safados que, temendo a visita matinal da PF, já não dormem mais em casa. Enquanto isso, os cidadãos honestos se questionam onde o Brasil vai parar com tantos ladrões de colarinho branco? Virgem Santa!


Mal na fita


Vejam que lástima: O Brasil tem o maior número de casos de casamento infantil da América Latina e o quarto no mundo. No país, 36% da população feminina se casa antes dos 18 anos. Estudo do Banco Mundial mostra que se a menina estiver grávida não há limite de idade. O casamento infantil responde por 30% da evasão escolar feminina e as coloca em maior risco de sofrer violência doméstica, estupro marital e mortalidade materna e infantil. Só Jesus na causa!


Festas proibidas


A Secretaria da Saúde de Sergipe promete punir com rigor quem promover festas clandestinas agora no Natal e no Réveillon. Alerta que, devido ao crescimento dos casos de Covid-19, estão proibidos eventos públicos ou privados sem a devida aprovação de projeto detalhado das medidas sanitárias. Como perguntar não ofende: a Secretaria Estadual da Saúde exigiu esse tal projeto ou fiscalizou as carreatas e grandes aglomerações de eleitores promovidas na campanha passada pelos candidatos a cargos eletivos? Danôsse!


Soy contra tudo


Essa é da lavra da professora Rosa Maria Ferrão: Conta-se que, após o naufrágio do navio em que viajava, um anarquista conseguiu chegar a uma praia. Então, olhando em volta, dirigiu-se aos que o cercavam: “Hay gobierno? Se hay soy contra. Se no hay también soy!”. Então, tá!


Recorte de jornal



Publicano no jornal Correio de Aracaju, em 15 de fevereiro de 1918.



Comments


bottom of page