top of page
  • Foto do escritorLuxo Aju

Rede Primavera realiza 3º mutirão de colonoscopia no Março Azul

Como parte da campanha ‘Março Azul’, que reforça a prevenção e conscientização ao câncer de intestino, o Hospital Primavera com parceria com a Secretaria de estado da Saúde, o Laboratório Patologika e Cardiomedh Produtos Médicos, realizaram no dia 24/03/2024, o 3ª Mutirão de Colonoscopia. No total, foram ofertados 50 exames a pacientes que estão na fila de espera do SUS - Sistema Único de Saúde, com a finalidade de acelerar os possíveis diagnósticos de câncer colorretal, também conhecido como câncer de intestino, e outras doenças intestinais, além de beneficiar pacientes que já se encontravam na fila de espera, reduzindo assim, a demanda existente. Caso haja alguma lesão suspeita ou câncer instalado, o paciente é encaminhado para a consulta ao oncologista da Regulação Estadual. Em geral, os tratamentos convencionais estão concentrados em cirurgia, quimioterapia e radioterapia.



A Estimativa do Instituto Nacional de Câncer (InCa), vinculado ao Ministério da Saúde, são de 45.630 novos casos de câncer colorretal no Brasil, em cada ano do triênio 2023/2025, afetando potencialmente mais de 136 mil brasileiros. É o 2ª câncer mais comum que afeta homens e mulheres.


Segundo o coordenador médico do Serviço de Endoscopia da Rede Primavera, Dr. Vinícius Leite de Castro, o exame é indicado para pacientes acima de 45 anos de idade, e aos 40 anos, para aquelas pessoas que tenha algum parente de 1º grau que foi diagnosticado com câncer de intestino com menos de 60 anos. O médico alertou também que a repetição do exame vai depender de alguns fatores, como a quantidade, tipo, local e tamanho dos pólipos. "As mudanças de hábitos de vida, prática de atividades físicas, evitar o excesso de consumo de carne vermelha, embutidos, enlatados e bebidas alcóolicas, bem como cessar o tabagismo são fatores que ajudam a diminuir a possibilidade do surgimento do câncer", alerta Dr. Vinícius.


A médica especializada em endoscopia digestiva, Dra. Ingrid Puig, também fez parte da equipe do mutirão e ressaltou a importância da ação em proporcionar aos pacientes, a oportunidade de fazer o rastreamento do câncer colorretal (intestino), e no tempo estimado de 20 minutos, visualizar todo o intestino grosso. “É muito gratificante participar de uma ação como esta, pois além de trazer um diagnóstico mais preciso a esses pacientes, também damos andamento a essa fila de espera, garantindo a esses pacientes uma maior agilidade no processo de melhora e bem-estar”, concluiu.


Há um ano, a lavradora da cidade de Ribeirópolis, Elisângela Silva Santos, de 43 anos, esperava pela realização do exame. Para ela, o mutirão foi um momento de gratidão e alívio em busca de um diagnóstico mais rápido.


Outra usuária atendida durante o mutirão foi Maria Cleide Santos Gomes, 47 anos, da cidade de Propriá. Foi a segunda vez que ela fez o exame de colonoscopia, mas por ter histórico famililar de câncer de intestino, precisava fazer mas uma vez e há dois anos aguardava na fila de espera. "Estou muito fez e agradeço a todos os responsáveis pela realização do mutirão", finalizou.


A dona de casa, Irene Ferreira, 60 anos, elogiou o acolhimento, a organização e a equipe preparada desde a chegada até o pós-exame. “Ações como essa são ótimas. O povo tendo direito a fazer um exame que se fosse particular seria muito caro e aqui a gente consegue fazer de forma gratuita. Foi uma bênção de Deus”, disse.

Comments


bottom of page