top of page
  • Foto do escritorLuxo Aju

Saúde mental e cognitiva ganham destaque no Congresso Brasileiro de Geriatria e Gerontologia


De 23 a 25 de março, acontece o XXIII Congresso Brasileiro de Geriatria e Gerontologia, o CBGG 2023, no Expo Center Norte, em São Paulo. Maior congresso brasileiro sobre saúde da população idosa, o evento terá como entre os seus principais enfoques a saúde mental e cognitiva da pessoa idosa. Com o tema “Dos 5Is aos 5 Ms: da evolução de conceitos à inovação do cuidado”, o CBGG se dedicará de maneira especial a um desses Ms, que é a mente. Ao todo serão 14 mesas que tratarão de temas como demência, depressão, Parkinson, delirium e até espiritualidade e religiosidade.

“O CBGG vai se dedicar a avaliar todas essas questões envolvendo a saúde mental e cognitiva das pessoas idosas: falar de demências, inovações no tratamento, medidas que podem ser tomadas ao longo da vida para prevenção do desenvolvimento da demência, o que há de novo na fisiopatologia das demências, entre outros. Além disso, dissecar a relação entre fragilidade e distúrbios do humor; o que há de novo no tratamento dessas condições e como atuar para que a pessoa evolua com a melhora desses quadros, evitando um caminho de envelhecimento frágil”, destaca o Dr. Marco Tulio Cintra, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG).

De acordo com a pesquisa Vigitel de 2021, do Ministério da Saúde, 12,8% dos adultos acima dos 65 anos possuem diagnóstico de depressão. Outras doenças e morbidades comuns nessa faixa etária também podem ser fator de risco, como a dor crônica. “Uma pessoa com doença mental mais séria, uma depressão grave, transtorno afetivo bipolar ou outras doenças, tem o seu padrão de envelhecimento modificado. Ela se torna menos produtiva. Pode evoluir para um padrão frágil, porque essas pessoas passam a ter um estilo de vida com menos atividade física, menos interação social e, por consequência, menos cuidados com a própria saúde”, reforça o Dr. Marco Túlio.

O evento, voltado à atualização de profissionais da área, acontece em um momento em que cresce o número de pessoas com 60 anos ou mais no Brasil. Em 2021, o país tinha 31,2 milhões de idosos, representando 14,7% da população brasileira, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 2060, a expectativa é que o número chegue a mais de 58 milhões, total superior a 25% da população brasileira.

“Os números mostram que é de extrema necessidade ampliarmos o debate acerca da pessoa idosa. É uma população que está crescendo substancialmente e é completamente heterogênea, não pode ser estigmatizada ou rotulada como uma coisa só. Cada um de nós temos nossas vivências, cultura, religiosidade e tantas outras características que nos tornam únicos. Ao envelhecermos, mantemos essas individualidades intactas e elas devem ser levadas em consideração quando se fala em envelhecimento saudável e em saúde mental e da pessoa idosa”, finaliza o vice-presidente.


Temas de destaque

De acordo com a presidente da SBGG, Dra. Ivete Berkenbrock, além dessa abordagem sobre a saúde cognitiva, o Congresso contará com uma programação diversificada em relação a outros temas: “Serão muitas as sessões de educação continuada, incluindo conferências, simpósios, workshops e sessões de trocas com especialistas para difusão de informações sobre questões clínicas emergentes, pesquisas atuais, educação, políticas públicas e cuidados em saúde”.

Entre os assuntos de destaque nesta edição estão: síndrome pós-Covid em idosos, imunização, o conceito de “desprescrição” de medicamentos a idosos, o uso medicinal da Cannabis para idosos e até o lançamento da nova edição da Avaliação Geriátrica Ampla (AGA), que é um instrumento que normatiza a forma de avaliar os pacientes geriátricos, incluindo diversos aspectos, como o físico (médico), o mental, o social, o funcional e o ambiental.

Kommentare


bottom of page