Política by Adiberto de Souza

January 9, 2020

 

Metamorfose petista

 

Governista há muito tempo, o PT sergipano tenta voltar à oposição de olho na Prefeitura de Aracaju, hoje comandada pelo ainda aliado Edvaldo Nogueira (sem partido). E por que esse desejo de se rebelar contra o poder? Certamente não é pensando em defender os fracos e oprimidos. Fosse assim, o PT não teria ficado contra os servidores estaduais, votado favorável à famigerada Reforma da Previdência do governo Belivaldo Chagas (PSD), do qual faz parte. Na verdade, os petistas sonham mesmo é em colocar um dos seus na disputada cadeira de prefeito da capital, caminho mais curto para se chegar ao governo de Sergipe. Com esse propósito, o partido se reúne, nesta quinta-feira, para definir se lançará candidato próprio à Prefeitura e, por conseguinte, se rompe com Edvaldo. Em isso ocorrendo, os petistas aboletados na administração municipal perdem as gordas boquinhas, a legenda deixa de ter um vereador na Câmara de Aracaju e corre o risco de perder o deputado estadual Francisco Gualberto, governista que já se posicionou contrário ao rompimento. Deixando os riscos e prejuízos de lado, as principais lideranças do PT acham que chegou a hora de a legenda deixar de ser coadjuvante e partir para o tudo ou nada. A sorte está lançada!

 

Mesmo palanque

 

Percebendo ser difícil tirar da cabeça dos petistas a ideia fixa de ter candidato próprio, o prefeito Edvaldo Nogueira tem procurado mostrar que não está sozinho. Ontem, ele esteve com o governador Belivaldo Chagas (PSD) e com o manda chuva do Republicanos em Sergipe, pastor Heleno Silva. Dos dois, ouviu rasgados elogios à administração e a garantia que, aconteça o que aconteça, os três estarão no mesmo palanque agora em 2020. Ah, bom!

 

Com todo gás

 

A Usina Porto de Sergipe I, localizada na Barra dos Coqueiros, passou com sucesso em seus primeiros testes de acionamento e de sincronização. Estas são etapas críticas, nas quais os engenheiros dão a partida e conectam umas das três poderosas turbinas a gás. Em conjunto com outra gigante turbina a vapor, além de três caldeiras de recuperação de calor, as três turbinas a gás são capazes de gerar colossais 1,5 GW, ou cerca de 15% da demanda energética do Nordeste. Misericórdia!

 

Tudo como dantes

 

Praticamente nada muda no Tribunal de Contas de Sergipe com a ascensão de Luiz Augusto Ribeiro à presidência da Casa. Dos cinco diretores, três permanecem nos cargos: Theotônio Neto (Comunicação), Patrícia Verônica Sobral de Souza (Técnica) e Ana Stella Rollemberg Porto (Controle Externo de Obras e Serviços). Para as diretorias Administrativa e Financeira, e Modernização e Tecnologia foram nomeados, respectivamente, Raoni Lemos da Silva e Jailton Moura da Silva. Na verdade, o que a diretoria do TCE queria ver bem longe da Corte de Contas era o conselheiro Clovis Barbosa. Danôsse!

 

Na terrinha

 

E quem dará com os costados em Aracaju é o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli. Comandante do Conselho Nacional de Justiça, o ministro chega segunda-feira próxima, para se reunir com os dirigentes dos órgãos do Judiciário das áreas estadual, trabalhista, eleitoral e federal. Também receberá o Colar do Mérito Judiciário, em solenidade marcada para o auditório do Palácio da Justiça, centro de Aracaju. Então, tá!

 

Cadeado na porta

 

Quando março chegar, a Petrobras botará cadeados nas portas de sua sede em Aracaju. As atividades ali realizadas serão transferidas para a base da estatal Carmópolis. Ao receber esta informação do próprio Ministério das Minas e Energia, o deputado federal Fábio Henrique (PDT) ficou preocupadíssimo: “Não concordamos com a redução das atividades da companhia no estado”, discursou. O pedetista promete mobilizar a bancada federal sergipana para tentar manter a sede da Petrobras funcionando. Tá difícil, viu?

 

Tá na briga

 

Percebendo o crescimento da pré-candidatura de Adailton Sousa (PR) a prefeito de Itabaiana, o ex-senador Eduardo Amorim (PSDB) se apressou em dizer que também está no páreo. Após elogiar a administração do prefeito Valmir de Francisquinho (PR), o tucano lembrou as emendas parlamentares que colocou para o município. Conciliador, Amorim disse que não há disputa interna no grupo liderado por Valmir, mas o desejo dele e de Adailton em continuar o trabalho desenvolvido pelo prefeito. Marminino!

 

Batendo em retirada

 

E a Vulcabras Azaleia está caindo fora de Sergipe. A empresa acaba de vender por R$ 25 milhões a fatia de sua subsidiária localizada em Frei Paulo para a Dok Participações. O valor da operação não inclui ativos e passivos de capital de giro. Para alegria dos quase mil empregados, a fábrica freipaulistana continuará produzindo cerca de oito mil pares de calçados por dia. Melhor assim!

 

Partido do capitão

 

A jornalista Lícia Melo é a única pessoa em Sergipe autorizada a retirar fichas de apoio nos cartórios, visando a formação do embrionário partido ‘Aliança pelo Brasil’. A moça participou, em Brasília, de reunião sobre a organização da sigla concebida pelo presidente Jair Bolsonaro. Para obter o registro na Justiça Eleitoral a tempo de participar das eleições deste ano, o Aliança pelo Brasil tem até março para conseguir 500 assinaturas de apoio à sua formação. Não será tarefa fácil. Esta informação é do blog Primeira Mão.

 

Calma, pastores!

 

Não convidem para o mesmo culto evangélico os pastores Carlito Alves e Jony Marcos, ambos do PRB. Vereador em Aracaju, o primeiro está tiririca com o aliado e até emaça deixar o partido, pois teme não se reeleger. Sempre que pode, Carlito diz o diabo de Jony, que vem a ser presidente do PRB em Sergipe. Pelo andar da carruagem e se o

também pastor Heleno Silva não tentar acalmá-los, os dois reverendos vão aos tapas no meio da rua. Misericórdia!

 

Sem corruptos

 

Caso o PSC do ex-deputado federal André Moura decida apoiar a reeleição do prefeito Edvaldo Nogueira (sem partido), o ex-governador Jackson Barreto (MDB) não sobe no palanque. “Não estarei onde estiver esse conluio de corruptos”, afirmou. JB lembrou, ainda, que o ex-presidente Michel Temer (MDB), do qual André era líder no Congresso, deixou seu governo a pão e água, só porque ele foi contra o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Independente da queixa de Jackson, o apoio do PSC a Edvaldo está praticamente fechado. Crendeuspai!

 

Recorte de jornal

 

 

Publicado no Jornal do Aracaju, em 1º de fevereiro de 1872.

Please reload